• Servi Imagem

TROCANDO A FARMÁCIA PELA FEIRA

Até “remédio” contra o mosquito da dengue é oferecido toda quinta-feira na Rua Conde Lages, na Glória, bairro do Rio de Janeiro. “Limpa o sangue e deixa um odor que expulsa o Aedes aegypti”, anuncia o feirante, apontando para uma cesta de inhames recém-colhidos. A planta que anda fazendo sucesso na barraca de Sérgio Costa, de 67 anos, é apenas um dos alimentos que podem ser encontrados em qualquer feira livre. A diferença é que, além de alimentar, eles ainda agem como remédios.

São os alimentos funcionais, comprovadamente benéficos à saúde por possuir, além de nutrientes, algumas substâncias capazes de favorecer os processos fisiológicos, acelerar o metabolismo e prevenir ou até tratar doenças crônicas. No caso do inhame, pesquisas mostram que seu consumo duas a três vezes por semana pode prevenir a dengue e acelerar a recuperação de quem já contraiu a doença.

A ciência hoje comprova que as velhas receitas da vovó são realmente eficazes, garante a nutricionista Noádia Lobão, diretora do Centro Brasileiro de Apoio Nutricional (CBAN). “A sardinha, que é tão barata, é um dos alimentos mais ricos em ômega 3, que tem ação anti-inflamatória e estimula a absorção de nutrientes”, informa. “Alimentos de cor roxa, como beterraba, uva, acerola ou jabuticaba melhoram a circulação, hipertensão, colesterol”, diz.

Para aqueles que trabalham muito e vivem estressados, a nutricionista recomenda uma receita que pode ajudar a dispensar os remédios tarja-preta. “Hortaliças alaranjadas, como cenoura e abóbora, são antioxidantes e ajudam a cabeça a ficar equilibrada”.


Fonte: IG SAÚDE


0 visualização0 comentário