• Servi Imagem

TRATAMENTO DO CÂNCER NA PANDEMIA

Sociedade Brasileira de Patologia (SBP) e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) estimam que milhares de diagnósticos de câncer deixaram (ou deixarão) de ser feitos no país nos últimos dois meses e nas próximas semanas; possivelmente até 50 mil casos deixaram (ou deixarão) de ser diagnosticados.

A rede pública de SP fez mais de 22 mil biópsias em 2019 entre meados de março e início de maio e, neste ano, no mesmo período, foram realizadas apenas 6 mil. No Ceará, o “fenômeno” também já é conhecido, pois no maior centro de referência do estado cerca de 5 mil biópsias foram realizadas em 2020 ante 18 mil no mesmo período do ano passado.

O Instituto do Câncer do Estado de SP informa que o número de pacientes novos já caiu 30%. O hospital A. C. Camargo, também em SP registrou ainda redução de 65% no número de novos pacientes, de até 87% em exames diagnósticos e de mais de 50% nas cirurgias na comparação entre abril deste ano e de 2019.

Os motivos para este “fenômeno” são variados, seja por recomendações dos próprios médicos em adiar consultas, cirurgias e exames de rotina, por redução da capacidade de atendimento de hospitais com vários profissionais de saúde doentes, mas principalmente, pelo medo dos pacientes de sair de casa para essas consultas, exames etc e se contaminarem com o coronavírus nos hospitais ou clínicas ou até mesmo no transporte público.


Fonte: Portal PEBMED


0 visualização0 comentário