• Servi Imagem

OS EFEITOS DA PANDEMIA NA QUALIDADE DO SONO

Desde que a pandemia da Covid-19 chegou ao Brasil, milhares de pessoas passaram a voltar suas atenções as notícias, bem como ao cuidado e a prevenção ao Coronavírus. Contudo, alguns efeitos desse período podem estar afetando algumas pessoas, por meio de dores de cabeça, sonhos perturbados e insônia.

A insônia é o distúrbio do sono mais comum na população mundial, afetando entre 30 a 35% da população. Nesses dados estão englobados tanto os casos em que insônia é um sintoma de outro problema, por exemplo, ansiedade, apneia obstrutiva do sono, quanto aqueles em que a pessoa tem a doença insônia. Por isso, sim a insônia pode ser tanto um sintoma, quanto uma doença.

A Covid-19 mudou a rotina da grande maioria da população, fazendo com que todos precisassem fazer adaptações no modo de viver. O que se tem notado na prática clínica, ainda sem estudos específicos sobre o tema, é que as pessoas têm sofrido mais de insônia nos últimos dois meses. Seja aquelas que já tinham essa queixa, notando um agravamento da intensidade da dificuldade para dormir ou aumento da frequência de noites mal dormidas, seja em pessoas que não costumavam ter insônia e que passaram a sofrer disso.

Nesse aspecto, a quarentena em si seria um indutor de insônia, ainda que para outras pessoas a possibilidade de dormir mais acaba se concretizando. Mas, mesmo assim, a qualidade desse sono segue sendo dependente de atividade física e convívio social.


Fonte: UPF - Universidade de Passo Fundo


0 visualização0 comentário