• Servi Imagem

ATENDIMENTO À SAÚDE DA MULHER NA APS

As medidas de isolamento social promovidas para frear o avanço da pandemia por Covid-19 trouxeram também uma redução do movimento nas unidades de Atenção Primária à Saúde (APS). No entanto, a diminuição da circulação de pessoas para reduzir o contágio da doença deve levar em consideração os potenciais malefícios causados pela interrupção dos acompanhamentos em saúde. Inclusive os atendimentos de pré-natal, planejamento familiar e outros relacionados à saúde da mulher.

É importante lembrar a recomendação do Ministério da Saúde de realizar ao menos 6 consultas pré-natais e 2 consultas puerperais. Dessa forma, fornecendo o adequado atendimento à mulher no ciclo gravídico-puerperal. Estudos demonstram a relação entre um menor número de consultas a uma maior mortalidade perinatal e infantil.

Da mesma maneira, houve aumento de gestações indesejadas, devido à diminuição do acesso a contraceptivos e a cuidados relacionados ao planejamento familiar. Vale lembrar que os efeitos da Covid-19 sobre o feto ainda são incertos. Alguns estudos apontam aumento de casos de trabalho de parto prematuro, de crescimento intrauterino retardado, de sofrimento fetal e possibilidade de transmissão vertical. Isso reforça a importância da contracepção nesse momento.


Fonte: Portal PEBMED


0 visualização0 comentário